domingo, 15 de julho de 2012

5ª fase de Amor Aos Pedaços -Reintigração

Existe uma canção que diz:
"O Mundo é uma bola de algodão..",nas quatro fases falei de uma história uma história,bem real e que me deixou marcas, para toda a vida,vida essa que ainda na sexta passada queria pôr termo.
Há 5 anos atrás perdi o meu pai,o meu braço amigo,aquele que não precisava falar ,mas ele sabia o que me ia na alma.É bem verdade que os pais e os filhos e as famílias não se escolhem,mas eu entre tantos tios e primas pouco os conheci.
Fazendo um resumo breve, tive uma infância traumatizante ,de tareias,que era um estorvo,que não era minha mãe,etc..tinha uma única defesa o meu pai.
Na escola apanhava da professora por não saber as matérias.
Aprendi desde muito cedo a sobreviver só.
Minha mãe tem demência de alzheimer,mas continua na casa dela com assistência nas refeições,mesmo assim não queria,sai só e continua autoritária ,pois a ela afectou mais o sistema locomotor no esquecimento nem tanto.
Pensei que com a idade e com a doença ficasse melhor,pois bem me enganei,mesmo  a médica diz que ficam pior,portanto está sempre contra mim ,não posso sair porque sair é porque saio estou cansada.
Gosto imenso de fazer trabalho voluntário ,está sempre a refilar que tem vezes que não ligo,mas é difícil ter a nossa família e não ter paz.nem amigos posso ter porque se sabe interfere,é de facto uma pessoa muito difícil e até já me disse que há-de ir ao meu funeral,o Mundo dá tanta volta quem sabe,tem dias que entro em depressão e aí vejo como todo o Mundo é cruel e eu sofro muito com isso,crianças com fome famílias que não tem com pagar suas rendas e por um pouco de pão na mesa...é o Mundo é mesmo uma bola de algodão que cai na nossa mão,frágil tão frágil que pode desaparecer.

Tenho 52 anos e quando entro em desespero e quero fazer a vontade  à minha mãe, também um pouco de cobardia, mas já não tenho forças nem cabeça para viver neste Mundo onde se tenta fazer o bem e vem palhaços fazer pouco de nós,maltratam-nos e não temos quem nos defenda.
Sei que não contribui muito nesta fase, mas fui verdadeira, até um dia.

5 comentários:

Socorro Melo disse...

Olá, Xunandinha!

Você contribui sim, minha amiga, pois, gentilmente nos contando sua experiência, nos faz refletir, que existem realidades diferentes das nossas.
Olha, amor sei que você tem no coração, e muito, pois, quem não ama, não se preocupa com o sofrimento alheio.
Penso que,você só precisa se libertar um pouco da sua dor, sendo mais confiante e reacender mais suas esperanças.
O mundo sempre foi um lugar de sofrimentos, e há períodos mais tenebrosos, mas, é preciso que lutemos, para não perder a esperança. Reaja, minha amiga, e deixe que Deus conduza seus caminhos, um dia, a paz virá ao seu encontro, e você se reintegrará, e será feliz. Não desanime, sê forte, viu!

Grande abraço
Socorro Melo

RUTE disse...

Oi Xunandinha,
cada um tem sua realidade e ninguém está lhe querendo impor a perspectiva pessoal.

Você tem todo o direito de manifestar sua desilusão com a vida. Mas não desespera. Tudo tem solução. Porém a morte não é solução para nada.

É possivel que você esteja com falta de serotonina. A falta dessa substância conduz-nos à depressão. Retira-nos a coragem de viver. E também é possivel que sua energia vital esteja com algum bloqueio energético, retirando-lhe a força interior. Se puder e quiser, procura ajuda na Medicina Tradicional Chinesa (Acupuntura).

Grata por nos acompanhar nesta caminhada pelo amor. E por nos mostrar realidades mais dolorosas.
Beijo além-mar.
Rute

Luma Rosa disse...

Imagino todo o seu sofrimento. Muitas vezes os adultos são cruéis e sentimos a nossa força interior minguar, mas não deixe isso acontecer! Se não pode sair de casa e viver a sua vida, tente se manter um pouco distante dos problemas da casa. É ótimo que você faça trabalho voluntário e tenha a sua vida social. Sua mãe quer controlar a sua vida porque nem mesmo ela tem controle da vida dela e derruba todas as frustrações sobre você.
Segue os conselhos da Rute, a acupuntura vai te ajudar a ter mais equilíbrio emocional.
Beijus,

Orvalho do Céu disse...

Olá, Xunandinha
"UMA GOTA DE ORVALHO NA BORDA DO CÂNTARO"

Extremamente cansada mas reintegrada... cheguei hoje da Missão...
Sou-lhe grata e a Deus por ter dado tudo certo.
Obrigada por termos chegado o fim da BCAP.

"AMAR O OUTRO É RENUNCIAR POSSUÍ-LO, MESMO MORTO".
Abraços fraternos de paz
P.S. Conte sempre comigo, amiga!!!

Bel Rech disse...

Minha querida não deve ser fácil para você, mas o que fazes é algo que nunca vai pesar para você.Pois terá certeza que fez e fizeste com alma e coração e que por vezes se torna cansativo e doloroso.Mas é um grande ato de amor...
Paz e bem